Sobreviver
Vamos ser realistas… O cenário mundial não está pintado com cores muito alegres, e os pintores mais influentes têm distúrbios mentais bastante acentuados. Pode ser uma metáfora parva mas serve para descrever a realidade do presente e o perigo do futuro! Por isso apresento-vos este site e aconselho a leitura destes dois artigos lá incluídos:

Como sobreviver a um inverno nuclear | Como sobreviver ao colapso da civilização








3 Comments

muita informação neste site ein… gostei, vai demorar pra mim ler tudo…. obrigado pelo link

Comment by RBass — 24 Agosto, 2008 @ 15:05

Ja agora recomendo um site Português :

http://www.realidadeoculta.com/defesa.html

segurança em casa:
Como proteger a casa de assaltos, dicas de segurança, alarmes, segurança no bairro, etc…

defesa pessoal :
Como evitar confrontos, como defender-se de uma agressão, como evitar ser assaltado, etc…
Contém imagens com algumas técnicas de defesa..!

segurança automóvel
Evitar assaltos, dicas de segurança durante a condução e estacionamento, regras básicas de segurança em caso de
acidente, etc.

situações de terrorismo:

Cuidado com cartas bomba, como detectá-las.
O que fazer em caso de ataque biológico, químico ou nuclear, o que fazer em situação de reféns, etc.

tempestades, furacões:

O que fazer em caso de furacões? Fortes nevões? Trovoadas? Previna-se para ficar em casa durante uma tempestade,
dicas úteis para resistir…

terramotos:
Algumas regras de segurança em caso de terramotos..

Comment by realidade oculta — 3 Outubro, 2008 @ 0:41

Flagelos humanos levados para a Europa. Atenção Civilização!
Em tudo quanto é civilização o ser humano anotou: !Cuidado com o elogio! Mas nunca os covardes e dependurados em interesses se dão conta; até que atônitos vêem reverter desgraças sobre si mesmos. Assim como de vinte anos pra cá a gana de domínio das “novas” cruzadas religiosas destroçaram a nossa educação civil e nos sitiaram com flagelos, desespêro, e violência; assim vemos na nossa cara a fuga de negros para a Europa. Incapacitados de tomar atitudes em sua própria terra, pois a religião os dizima, e os torna apáticos, enquanto come suas riquezas, vende seus órgãos, vende seus filhos; então, agora são usados para sitiar com flagelo e violência as cidades desenvolvidas (como vimos muito bem fazerem aqui no Brasil; com a imputação desvairada de igrejas e ‘seguranças’ em tudo que é lado; entupindo de sandices nossas escolas, nossas músicas, nossa liberdade; impregnando de violência nossos esportes, nossas convivências, exterminando nossos clubes, açulando um falso racismo, amordaçando nossa Imprensa, adulando nossos Exércitos, e infiltrando-se deformando nossos partidos políticos). As cidades que já não suportam mais o parasitismo psicológico que impõe fantoches através de teo-pulhíticas se tornaram alvos, e os pulhas passaram a disseminar a farsa de “protetores” das famílias para os jovens terem seus pais tutelados por crápulas alcoviteiros sem-escrúpulos (que pregam e disseminam que pessoas se vendem), para nenhum garoto ou garota e nenhum de nós sequer termos chance de tentar saltar a cerca das senzalas-mistas rumo à liberdade. Não importa a pele: Quem leva um filho pra pastor e padre ou diferentes caras dessa coisa, alimenta o desespêro, a violência, o descambo civil. Olhem com atenção tudo e verão em cada segundo desses (des)governos que se sustentam em lacaios covardes a fomentação da violência, do mentiroso conluio de descompromisso com a Terra e da insana devastação e depredação da Natureza e da Sociedade e de nossa Civilização. Se temos ainda algum tipo de brio então havemos que tomar uma posição pessoal ao olhar nossa sorte de a Natureza nos propiciar consciência para sabermos nos preservar. A mesma consciência e estudos nos deu a História e expõe na nossa face o que estamos a fazer; e se continuarmos repetindo a insensatez da mentirada da hipocrisia parasita em que sempre nos dependuramos, teremos a conta da extinção de nossos dias, todos desgraçados por nós mesmos, por nossa sujeição à canalhice de pulhas usurpadores de nossas produções e riquezas. Aprontemos defesa à nossa Civilização.
Haddammann Veron Sinn-Klyss

Comment by Haddammann — 17 Abril, 2009 @ 15:03